As 7 milhas milagrosas – ou the seven-mile miracle. É assim que é conhecido o North Shore da ilha de Oahu, no Havaí. E esta designação não é à toa: nas 7 milhas que separam Haleiwa de Sunset Beach, são mais de 30 points de surfe espetacular, lendários, para qualquer surfista profissional ou amador não pôr defeito – ou para qualquer pessoa que curte a vibe dos tubos perfeitos se apaixonar ainda mais pelo Havaí.

É no período de inverno que vai de novembro a fevereiro no Havaí, que chamamos carinhosamente de the most wonderful time of the year” – “o melhor tempo do ano” (eu particularmente incluiria outubro…) – em que várias coisas legais coincidem: as festas de fim de ano, a temporada das baleias jubarte, a maratona de Honolulu, as ondas grandes no North Shore – e com elas os campeonatos de surfe mais legais. É a hora em que as 7 milhas milagrosas passam de sonho para a mais perfeita realidade, quando o Havaí dos estereótipos de surfe ganha força e floresce.

Guia Malla do North Shore de Oahu

Pipeline em dia de campeonato.

Há vários campeonatos que rolam nas praias do North Shore de Oahu (e no north shore das outras ilhas também). Considerado quase por unanimidade como a grande arena do surfe mundial, o North Shore de Oahu é o local onde o surfe nasceu, se desenvolveu e se estabeleceu como esporte e estilo de vida – um estilo de vida que eu amo, devo confessar.

Os três principais campeonatos de surfe que acontecem entre novembro e fevereiro no North Shore são:

1) o Quiksilver Invitational Eddie Aikau em Waimea Bay (que só acontece se rolam ondas consistentes acima de 25 pés), em homenagem ao maior surfista do North Shore de Oahu, Eddie Aikau;

2) o Pipe Masters, que é a final do campeonato mundial de surfe em Pipeline, o WCT; e

3) as três jóias do Triple Crown, que acontecem na praia de Haleiwa (Hawaiian Pro), em Sunset Beach (Vans World Cup of Surfing) e em Pipeline (Pipe Masters) – sendo que o Pipe Masters é a final deste campeonato e do WCT, juntos.

Todos estes campeonatos não têm uma data certa. Eles têm um holding period, ou seja, um período de umas semanas em que, se o mar e o vento colaborarem e as ondas baterem de forma consistente com um tamanho adequado (entenda-se gigante), o campeonato acontece. Então, normalmente temos pouquíssimo tempo de antecedência para confirmar a data exata em que vão rolar estes campeonatos – alguns a gente só confirma no dia mesmo. Por isso, quem visita o Havaí e quer ter certeza de que vai assistir a pelo menos um campeonato profissional de surfe, sugiro ficar umas 2 semanas em Oahu, de preferência durante o holding period do Pipe Masters (nas duas primeiras semanas de dezembro), para aumentar sua probabilidade de ver pelo menos um destes campeonatos rolando.

Todo mundo quer surfar esta onda de Waimea…

Só que é nesta época também que o North Shore de Oahu está mais lotado, mais caro e mais complicado de se locomover. Eu moro do outro lado da ilha (in town), na cidade de Honolulu, então sei bem o quão estressante pode ser para quem está em Honolulu tentar passar um dia no North Shore… Por isso, para facilitar a vida dos que desejam aproveitar o North Shore com um pouco menos de dor de cabeça, resolvi escrever este pequeno guia de uma Malla apaixonada pelo North Shore, com algumas dicas úteis para facilitar o seu processo de ~relaxamento~ nas areias destas 7 milhas milagrosas.

Vamos ao guia.

PRINCIPAIS PRAIAS E POINTS

Mapa tirado daqui.

Comecemos como se estivéssemos na Kamehameha highway (que é pista única por todo o North Shore), indo de Haleiwa ao sul na direção de Sunset Beach, ao norte. Eis uma listinha básica das praias mais importantes do North Shore de Oahu e suas características:

  • Haleiwa Alii Beach – Seria considerada uma praia “urbana” no North Shore, por ficar no centrinho de Haleiwa (que é uma cidadezinha pequena de surfe). A praia fica à esquerda do píer de onde saem os barcos de passeios e pesca, e é onde ocorre a primeira competição da Coroa Tríplice, o Hawaiian Pro. Em dias de ondas grandes, é para profissionais apenas.
  • Haleiwa Beach – É outra praia do centrinho, esta super-mansa devido ao quebra-mar do píer. Ideal para nadar sem compromisso, fazer SUP e famílias com crianças. Tem diversas pessoas que oferecem aulas de surfe neste ponto.

    Laniakea beach.

  • Laniakea Beach – Laniakea também é conhecida como “Turtle Beach” ou a praia das Tartarugas. Em geral, o trânsito aqui é muito lento, no ritmo das donas do pedaço. A razão é simples: os carros costumam parar pra ver as tartarugas, e isso atravanca o fluxo.
  • Chun’s Reef – Um bom break para quem não tem muita prática de surfe. A praia é pequena e há muitas rochas. Conta com uma barraquinha de aulas de surfe.

    Waimea no verão.

  • Waimea Bay – Ah, a mítica baía de Waimea… quantas histórias, filmes e lendas em suas águas! Considerada um dos melhores points de surfe do planeta, é parada obrigatória para os fãs de surfe. O point de surfe fica no canto direito, perto das pedras, e as ondas em dias grandes podem chegar a insanos 50 pés – coisa de louco mesmo. No canto esquerdo, uma pedra alta serve de trampolim natural no verão. Em dias de mar piscininha, Waimea Bay é um excelente point de snorkel. Nem pense em entrar em dia de swell alto.

    Three Tables.

  • Three Tables – Um ótimo lugar para snorkel quando o mar está tranquilo. A praia tem árvores e é muito gostosa para passar o dia ali num piquenique. Em dias de mar revolto, entretanto, nem pra surfista ela é recomendada, porque tem muita pedra.
  • Shark’s Cove/ Pupukea – A Pupukea é um parque marinho. Portanto, a vida subaquática ali é rica e bem típica havaiana, e o local é um excelente point de mergulho. Ao lado da baíazinha que forma o Shark’s Cove fica um sistema de piscininhas de maré que são ótimas para crianças. Em dias de mar alto, entretanto, nem ali a gente pode confiar muito. O nome diz muito, e a parte externa do Shark’s Cove tem alguns lindos tubarões pequenos em caverninhas.

    O tubo perfeito de Pipe.

  • Pipeline/ Ehukai – A grande meca do surfe. Melhor tubo do mundo, melhor onda tanto pra direita (Backdoor) quanto pra esquerda (Pipeline). Mesmo em dias calmos, não costuma ser fácil. A corrente é bem forte. A praia chama-se Ehukai Beach, mas pode chamar de Pipe sem medo de ser feliz. Por causa da arrebentação ser tão perto da praia, é uma emoção única assistir a campeonatos dali, com a galera vibrando junto. Sei lá, Pipeline é mais que uma praia: é praticamente um estilo de vida e surfe. Só vendo para entender. 😉

    O pôr-do-sol em Sunset Beach

  • Sunset Beach – O nome diz tudo: é a praia clássica para ver o pôr-do-sol no North Shore de Oahu. O point de surfe fica bem à esquerda e é uma onda mais clássica que o próprio surfe no North Shore – surfista que é surfista de verdade surfa Sunset de olhos fechados, mesmo esta sendo considerada uma das ondas mais difíceis do mundo. Para não-surfistas como eu, considero uma praia temperamental, porque pode estar super-calma e de repente vir uma corrente louca. A praia é bem barrancada.

    O futuro do surfe em Velzyland.

  • Velzyland (V-land) – Outro point de surfe, este menos clássico mas não menos bacana. O acesso à praia é por um condomínio fechado, em uma entradinha lateral de pedestres. Não tem estacionamento nem salva-vidas – é praia para quem se garante.

O point de surfe de Turtle Bay.

  • Turtle Bay Beach – É a praia do resort Turtle Bay. À esquerda do resort tem um bom point de surfe, e à direita uma prainha ótima para relaxar ao sol e nadar com sua bóia de patinho.

Parceria Malla: Faça sua reserva de hotel no Havaí pelo Booking.

Parceria Malla: Reserve seu carro alugado no Havaí pela RentCars.

DICAS PRÁTICAS

  • Esqueça o conceito de praia do Brasil. No North Shore (e no Havaí em geral…) não há quiosques nem calçadão nem aluguel de cadeira ou barraquinha nem cervejinha gelada com música alta. Pense em praia zen – com o barulho do mar como trilha sonora única. A maior parte das praias tem apenas a estrutura básica de banheiros e chuveiro pra lavar o pé – e mais nada. É super-comum as pessoas levarem uma farofada para passar o dia na praia. Tecnicamente, fumo e bebida alcóolica são proibidos na praia.
  • O swell das ondas gigantes costuma vir de noroeste e quando ele bate, a maioria das praias fica impossível de se nadar – a não ser que você seja um surfista experiente. Além disto, a corrente no North Shore pode ser bem puxada, chegar de repente e dar rasteiras homéricas. Evite se aventurar num mar com ondas altas sem a experiência devida – é pedir para que suas férias sejam encurtadas.

    Os salva-vidas melhores treinados do Havaí estão aqui, no North Shore de Oahu. Siga o que eles dizem.

  • As praias principais têm salva-vidas, que são fenomenais, considerados por muitos os melhores do mundo. Mas muitas praias menos visitadas não têm salva-vidas. Portanto, se você não sentir firmeza na tranquilidade do mar naquele dia, não entre. Como se diz, melhor prevenir que remediar.
  • Muitas praias do North Shore têm bastante pedra de lava, que é afiada. Sugiro usar uma botinha de neoprene, principalmente se quiser andar nas pedras.
  • As tartarugas verdes estão por toda parte no North Shore, mas principalmente em Alii Beach e em Laniakea. Elas parecem dóceis, mas são animais selvagens e podem bicar com força e machucar. É proibido por lei federal atormentá-las, tocá-las ou se aproximar demais com intenção de interagir com elas, e os voluntários na praia costumam colocar uma cordinha ao redor delas que não deve ser ultrapassada. Mantenha distância ao ver uma, respeite o espaço dela. O mesmo vale para as focas havaianas.
  • As praias têm banheiro, mas papel higiênico já é uma outra história… sempre ando com um rolinho no meu “kit North Shore”, e funciona muito bem, principalmente em dia de campeonato. Lencinho umedecido também serve.
  • Em Haleiwa e perto de Shark’s Cove, há diversas lojinhas com aluguel de equipamento de snorkel, surf e SUP, para quem quiser se aventurar na água em dias calmos.

O CLIMA NO NORTH SHORE

De novembro a fevereiro é inverno, e o calor dá uma amenizada, dando lugar a uma brisa fresca deliciosa à noite – um casaco de moleton leve é suficiente para aquecer. A temperatura média fica entre 20ºC e 30ºC. Pode chover um pouco mais em fevereiro, mas mesmo assim, na maior parte das ilhas, essa chuva é bem fina, apenas a garantia de muitos arco-íris <3.

Inverno no North Shore.

No verão (junho a setembro), o North Shore fica com um clima mais quente – mas não espere calor escaldante. Sempre tem uma brisa boa batendo.

É isso mesmo, camaradas: o North Shore tem um dos climas mais perfeitos do mundo. 🙂

COMO CHEGAR NO NORTH SHORE DE OAHU

Você desceu no aeroporto de Honolulu. E agora?

Tirado do GoogleMaps.

  • Com carro alugado: Para quem decidiu se hospedar no North Shore, o caminho é pegar a direção da rodovia H2 rumo a Haleiwa/ North Shore. Sem trânsito, em 40 minutos você chega lá – mas é raríssimo estar sem trânsito, portanto separe pelo menos 1 hora neste trajeto.

Se sua hospedagem é em Honolulu ou Waikiki, você acrescentar uns 30 minutos a este trajeto. O mais fácil e direto é ir pela H1 sentido oeste, até o entroncamento desta rodovia com a rodovia H2 – e aí você pega a H2 sentido Haleiwa/ North Shore.

Há um caminho alternativo, entretanto. Mais longo, porém mais bonito e às vezes, com menos engarrafamento. Para quem está hospedado in town, pode chegar ao North Shore pegando a rodovia Likelike ou a rodovia H3 e, de Kaneohe, continuar pela Kamehameha rumo a Lai’e e ao North Shore. Neste caso, você chega nas “7 milhas milagrosas” por cima, caindo primeiro em Sunset Beach. Usando este caminho, Haleiwa é sua última parada no North Shore.

  • De ônibus: Os ônibus que passam pelo North Shore de Oahu são o #52 e o #55. Já aviso: eles costumam demorar a passar. Ambos saem do Ala Moana Shopping Center e dão a volta na ilha – o trajeto inteiro é de quase 2 horas.

Caso você queira se aventurar do aeroporto para o North Shore de ônibus, serão 2 ônibus. Pegue o primeiro na rodovia Nimitz até um dos pontos onde passa um dos ônibus acima (#52 ou o #55). No site do TheBus, você pode buscar a melhor opção de acordo com o seu horário de partida.

  • De táxi: A corrida entre o aeroporto e Haleiwa fica entre US$100 e 200 dólares, dependendo do trânsito e do endereço exato no North Shore para onde você estiver indo.

ONDE FICAR?

Como expliquei no meu guia de hotel em Oahu, hospedar-se no North Shore  é optar pelo despojamento, pela desencanação completa. É querer curtir a praia e o surfe com todas as possibilidades oferecidas. Mais: há déficit de hospedagem no North Shore. Portanto, os preços, principalmente na época do surfe alto, costumam ser beeeeem salgados, fruto da demanda ser maior que a oferta. Prepare o bolso.

Em termos de acomodações, as opções (tiradas diretamente do meu guia) são:

  • Turtle Bay Resort – É o único resort do North Shore, de frente para a praia e com um visual do mar deslumbrante. Tem pequenos apartamentos estilo vacation rental, que são uma boa opção para famílias. Preços: diárias a partir de US$350,00; taxa de resort a US$39,79. Acesso ao wifi incluso na taxa de resort. Estacionamento gratuito, ou US$15,00 com valet. Endereço: 57-091 Kamehameha Highway, Kahuku.
  • Courtyard by Marriott Oahu North Shore – O mais novo hotel do North Shore de Oahu fica em Laie, praticamente dentro do Polynesian Cultural Center. O hotel é a vertente business do Marriott, com o típico café The Bistro desta rede – não espere nada gastronomicamente incrível. Como foi inaugurado em 2015, o hotel está novinho, e o bom custo-benefício para quem quer ficar no North Shore conta pontos. Está a 15-20 minutos de carro das principais praias do surfe de Oahu. Em Lai’e, todo o comércio fecha aos domingos, e é bom planejar bem sua estadia nesse dia. Preços: diárias a partir de US$179,00. Estacionamento a US$10,00 por dia. Wifi gratuito em toda a propriedade. Endereço: 55-400 Kamehameha Highway, Laie.
  • Tiki Moon Villas – Localizado em Laie, pertíssimo do Polynesian Cultural Center e a 15-20 minutos de carro de Sunset Beach (onde o North Shore oficial começa – ou seja, fica tecnicamente fora do North Shore). O Tiki Moon Villas é uma propriedade com alguns poucos quartos e diversos pequenos bangalôs. Cada bangalô é um apartamentinho, com cozinha, quartos e dependências, de frente pra praia de Lai’e – os quartos são apertados e não espere muito luxo. Ideal para famílias ou grupos de amigos. Aqui cabe lembrar que Lai’e é uma área mórmon de Oahu, e por conta disso, todo o comércio fecha aos domingos. Preços: diárias a partir de US$150,00 (quarto), US$235,00 (studio) e US$295,00 (bangalô). Estacionamento gratuito para um veículo. Wifi gratuito. Endereço: 55-367 Kamehameha Highway, Laie.
  • Kalani Hawaii Private Lodging (site oficial) – Fica na Pupukea, a 10 minutos andando de Sunset Beach ou de Pipeline. Por ser praticamente uma casa particular num bairro estritamente residencial a alguns quarteirões da praia, esta acomodação só aceita estadias com reserva antecipada pela web – chegar lá de última hora é certeza absoluta de levar um “não há vagas” na cara, nem tente mesmo. Interessantemente, apesar do clima exclusivo, em termos de acomodações disponíveis há desde dormitórios estilo albergue com banheiro compartilhado até apartamentos completinhos, com cozinha e banheiro privativo. Parece uma boa opção para famílias e casais. Recomenda-se reservar com muita antecedência para a temporada de surfe. Preços: dormitório a US$30,00 e diárias em quarto a partir de US$171,00 (quarto simples; visto em buscador online, não no site oficial). Estacionamento e wifi gratuitos. Endereço: 59-222 Kamehameha Highway, Haleiwa.
  • Backpackers Vacation Inn & Hostel (site oficial) – É um albergue, ideal para quem quer aproveitar o North Shore sem gastar muito e não se encana com a animação da galera jovem. As instalações são simplérrimas, o mínimo possível, sem regalias e limpeza a desejar. Por ficar na Pupukea, de frente para a praia de Three Tables, é super-conveniente, praticamente ao lado de Waimea Bay, a 10 minutos à pé de Pipeline, e a 4 quarteirões do supermercado Foodland. Costuma lotar rápido na temporada do surfe, portanto reservas com bastante antecedência são altamente recomendadas. Preços: diárias de US$30,00 (dormitórios), US$70,00 por quarto privativo com banheiro compartilhado, e US$130,00 (studio). Endereço: 59-788 Kamehameha Highway, Haleiwa.

Outra opção são as casas para aluguel por temporada. O site do booking oferece diversas opções, assim como AirBnb e Vrbo. Em minha opinião, esta opção é ideal para quem vem com um grupo maior e quer ficar mais de uma semana apenas no North Shore, sem muitos deslocamentos para Honolulu ou outras partes de Oahu.

Uma última opção é acampar na praia. Mas, para fazer isto no Havaí, há regras – não basta chegar com sua barraca e montá-la em qualquer lugar. Em todo o estado do Havaí, é proibido acampar na praia ou em parques sem permissão. Caso o local escolhido para acampar esteja sob jurisdição estadual, você precisa adquirir o documento de permissão no website do governo estadual para fazer a reserva e pagar a taxa de acampamento de acordo com o número de dias que deseja acampar – US$12,00 para 6 pessoas por noite, e adicional de US$3,00 por pessoa adicional (máximo de 4 pessoas adicionais; crianças até 2 anos não pagam). Você não pode marcar seu acampamento com mais de 30 dias de antecedência, e pode ficar acampado num mesmo lugar por no máximo 5 noites, de sexta a terça-feira – acampar nas 4as e 5as feiras não é permitido. No North Shore, só é permitido acampar em Malaekahana (depois de La’ie). A estrutura neste parque é mínima: banheiros, chuveiros (água fria), algumas mesas e áreas de churrasco. Há também o Camp Mokuleia, um camping particular ligado à igreja episcopal – é mais um retiro espiritual que um camping propriamente dito. Fica na Mokuleia, beeeeeem depois de Haleiwa.

COMO SE LOCOMOVER PELO NORTH SHORE DE OAHU

Ciclovia do North Shore.

Em geral, as pessoas alugam carro no Havaí, porque é a forma mais prática para se conhecer a ilha por conta própria. Entretanto, se você vai ficar no North Shore de Oahu e não pensa em ir para muitos outros pontos da ilha, minha sugestão é alugar uma bicicleta.

Além de mais ecológico e um ótimo exercício, o North Shore tem um bom sistema de ciclovias na maior parte das 7 milhas entre Haleiwa e Sunset Beach. Em dia de campeonato, você se desloca bem mais facilmente de bike que de carro – tanto que mesmo quem é daqui costuma ir de carro até Haleiwa, estacionar bem longe e usar uma bicicleta, para não se estressar com estacionamento nem engarrafamento. Para aluguel de bikes, duas empresas são bem recomendadas: North Shore Bike Rentals e Paradise Baby.

Kamehameha Highway com trânsito? Melhor uma bicicleta…

Se você estiver de carro, prepare-se para trânsito. Em dia de campeonato, para pegar bons lugares e estacionar perto de Pipeline ou Waimea, eu costumo sair antes das 5 da manhã de casa in town. Em dias comuns, ainda assim pode haver um trânsito engarrafado, principalmente perto de Laniakea. A maior parte das praias tem estacionamento, mas são poucas vagas – prepare-se sempre para ou esperar muito por uma vaga ou estacionar longe na rua e andar (ou estacionar no quintal de alguém que lhe cobrará entre US$10 e US$30 por dia).

ONDE COMER

Malama Market, em Haleiwa.

Eu curto muito ir para o North Shore e fazer piquenique numa das praias. Para isso, em geral dou uma parada em um dos dois supermercados que existem no North Shore: o Foodland em frente à Pupukea ou o Malama Market, em Haleiwa. Ali, abasteço de comidinhas rápidas de praia (poke, cookies, macadâmia etc.), bebidas e vou rumo ao descanso.

Para quem não está a fim de trabalho, há outras opções. Nos últimos anos, tem crescido o número de food trucks pelas praias – em frente ao Shark’s Cove agora há um mini-parque com vários tipos de comida. Meu food truck favorito ainda é o Crispy Grindz, da brasileira Cris e operado pela Priscila, que fica em Pipeline. O trailler tem coxinha, pastel de feira, brigadeiro e tigela de açaí ou pitaya, pra dar saudade do Brasil. Minha parada obrigatória no North Shore. Também para tigelas de açaí, outra opção é o Haleiwa Bowls, que oferece opções natureba. Minha segunda opção no North Shore costuma ser o Hula Dog, um trailler de cachorro quente com uns molhos havaianos de frutas. Nada saudável, mas gostoso.

Outro food truck famosérrimo é o Giovanni’s, cuja especialidade é o camarão no azeite. O Giovanni’s tem 2 endereços: o original em Kahuku (bem depois do Turtle Bay Resort) e a filial no parque de food trucks em Haleiwa, na Kamehameha Highway. A qualidade do camarão é a mesma. Neste parque, aliás, há diversas possibilidades de gastronomia.

Camarão do Giovanni’s: um clássico do North Shore de Oahu.

Para quem prefere restaurante mesmo, a opção é Haleiwa. Algumas sugestões interessantes são o Cholo’s (comida mexicana, super animado no happy hour), o Kua ‘Aina (hambúrgueres ótimos), o Haleiwa Joe’s (frutos do mar à beira do píer de Haleiwa) ou o Breaker’s (comida americana simples).

Vale também ressaltar o famoso Matsumoto’s Shave Ice, uma loja de raspadinha que era pequena e modesta, até o Obama passar a visitá-la em suas férias no Hawaii. Hoje o Matsumoto’s virou parada obrigatória de muitos, vende muitos souvenirs e a fila cresceu bastante. Minha opinião: não é o melhor shave ice da cidade… #JustSaying

Parceria Malla: Faça sua reserva de hotel no Havaí pelo Booking.

Parceria Malla: Reserve seu carro alugado no Havaí pela RentCars.

O QUE FAZER (ALÉM DO SURFE)

Para além de tartarugar na praia e ver o surfe (e precisa de mais?), os que tiverem interesse em outras atividades no North Shore têm possibilidades interessantes – mas a maioria ainda é ligada a natureza. (O North Shore realmente não é um destino para os que não curtem este tipo de passeio.)

Surf N Sea com sua característica placa de “Surfer X-ing”.

Haleiwa é uma cidade praiana bem pequena, mas cheia de personalidade. Os prédios são todos antiguinhos, no estilo de época de quando a cidade ainda era um vilarejo em que só se chegava de trem. Eu particularmente acho os prédios do Mac Donald’s e do correio uma fofura, altamente instagramáveis. A cidade é cortada pela Kamehameha Highway, a principal rodovia/avenida do North Shore.

Em Haleiwa, não deixe de dar uma passadinha pela Surf N Sea, considerada a primeira loja de surfe do mundo. Inaugurada em 1965, a loja tem várias memorabilias da história do surfe que já rolou por aquele litoral… Eu acho que vale a pena dar uma caminhada por Haleiwa, nem que seja rapidinho.

A ponte tradicional de Haleiwa.

Outra opção cultural é ver um luau havaiano no Polynesian Cultural Center, em Laie. Para mais detalhes, meu post de luaus comenta sobre as vantagens e desvantagens desta opção.

Para quem quer cair no mar mas não quer encarar as ondas, uma opção com adrenalina é fazer o mergulho de gaiola com tubarões – eu AMO. O barco sai do píer de Haleiwa, e os passeios são organizados pela North Shore Shark Adventures. E se você quer mais adrenalina ainda com os tubarões, a One Ocean oferece uma oportunidade de “pesquisa” em que você faz snorkel sem gaiola. (Aqui um vídeo dos atores Zac Efron e Adam Devine nesta aventura.)

Shark’s Cove: ideal para mergulho autônomo e snorkel.

Na época de verão – ou quando o swell está baixo – uma atividade imprescindível é snorkel ou mergulho autônomo em Shark’s Cove, Three TablesSunset ou em Waimea Bay (ou em qualquer praia que tenha um bom recife). Sem ondas, dá pra gente aproveitar bastante o fundo do mar e perceber o quão resiliente e rico é aquele pedaço do litoral. O mergulho pode ser arranjado com a super-bacana Hawaii Eco Divers.

Quem gosta de fazer trilha tem diversas opções. A mais fácil de todas é ir até a cachoeira de Waimea, em frente a Waimea Bay. O parque tem estrutura e cobra US$16,00 para entrar. A cachoeira é okzinha (não espere muita coisa…), mas vale a caminhadinha.

Kaena Point.

Outra trilha popular e interessante é a de Kaena Point, que dá para ser feita pelo lado oeste ou pelo norte. Saindo pelo North Shore, vá na direção da Mokuleia até o final da rodovia pavimentada e comece a andar quando chegar no portão da estrada de terra. São 4 km de trilha praticamente plana, no sol com pouquíssima área de sombra, margeando a costa. Ao final, na piscininha de maré que se forma no extremo oeste da ilha de Oahu, costumam ficar algumas focas havaianas.

Recentemente apareceu um tour de zipline no North Shore. Nunca fiz, então não sei se vale a pena. Quem oferece é a Climbworks.

*********************

É isso aí. Espero que este guia ajude… E que venha a temporada de ondas gigantes do North Shore de Oahu para animar a galera! 🙂

Tudo de Havaí sempre.

**************************

P.S.: Se este post lhe ajudou no planejamento da sua viagem ao Havaí e você gostaria de contribuir para a manutenção deste site, use este link ou reserve seu hotel usando este link do booking (recebo uma microcomissão a partir dele). A blogueira agradece seu interesse e colaboração! 🙂



Booking.com

Postado em 23/10/2017 por em Havaí, Ilhas, Oahu
  • F. Goes

    Olá Malla!
    Seus posts são incríveis.
    Poderia me falar sobre a Stairway to Heaven? Como chegar, quanto tempo demora a subida e os riscos reais?

    • Olá F. Goes, obrigada pelo elogio. Pelo que eu saiba, a Stairway to Heaven está fechada no momento, porque caiu um pedaço da escadaria – e ningueem consertou. Portanto não dá pra subir até o fim – o pedaço que caiu é logo no começo. Além disso, ela não é considerada uma trilha oficial, portanto não é cuidada pelo governo e nem tem nenhum tipo de segurança. Os riscos são significativos, porque a escadaria é bem íngreme e só tem penhasco de um lado e do outro. A subida leva umas horas, dependendo da sua forma física. Espero ter ajudado. Aloha!