A primeira coisa que eu gosto de fazer assim que chego de uma viagem de férias (e depois de desempacotar as malas da Malla) é agradecer às pessoas que me ajudaram ou que de alguma forma contribuíram para que a viagem fosse bacana e tranquila, sem sobressaltos desnecessários. Em geral, mando email, mensagens ou uma carta à moda antiga para a pessoa/empresa em retribuição ao bom trabalho. E, claro, só faço se achei que o serviço foi bom mesmo.

E desde que eu mesma me tornei guia de turismo há alguns anos, tenho me esforçado para aprender com eles a aperfeiçoar cada vez mais meu próprio serviço. Nesta jornada, levo de cada um deles uma nova lição bacana.

Então desta vez, antes de começar a escrever posts sobre a viagem, roteiros, etc., resolvi abrir o espaço do blog para um agradecimento super-especial aos guias que tornaram minhas férias na África do Sul e Namíbia inesquecíveis. Porque acho que eles contribuíram exponencialmente com seu conhecimento, prontidão e generosidade para o sucesso desta viagem.

(Deixo aqui também o nome destes guias como dica especial para quem quiser montar sua viagem por estes dois países africanos. Procurem-os; garantia Malla de sucesso viajante e qualidade aventuresca. 😀 )

Na África do Sul:

Sharks, yeah!

  • Steve, da Shark Explorers em False Bay, que tornou nossa aventura com o tubarão branco muito mais divertida. Quem me indicou esta empresa foi um membro do Shark Lab aqui da Universidade do Havaí, indicação nota 10.

 

  • Trace, do The Heart of Cape Town, um museu pequenininho e fascinante da Cidade do Cabo, perfeito para quem é das biomédicas. A Trace tornou viva a história daquele momento na Medicina em minha cabeça com seu jeito de explicar super-envolvente, sensacional. Infelizmente, não consegui tirar uma foto com ela, porque assim que o tour terminou, ela desapareceu por conta de um problema no hospital. 🙁

Michael durante o jantar na casa do Hilton Schilder.

James apontando meu crime: champanhe no quarto vinhedo do dia. #CadêPinotage

  • James, da Wild West Coast, que nos deu uma aula minuciosa sobre vinhos sul-africanos regada a muito humor e descontração, pelos vinhedos estrelados de Stellenbosch e Franschoek – e por nos ter oferecido uma tábua de queijos que até hoje estou salivando.

Jama e esta Malla.

  • Jama, do tour pela Robben Island, ex-prisioneiro do local que trouxe uma vivência e proximidade à experiência política do Apartheid que foi dolorosamente humana (o lado negro da nossa “humanidade”), porém essencial, e o fez sem jamais perder a ternura.

Steve e Marco na chegada do barco, tentando trazer o mesmo para a praia – e as crianças só querendo farra… 😀

  • Steve, Marco e Bula, da African Dive Adventures, pela excelência como guias do Sardine Run em Coffee Bay, pela persistência e paciência com todos os equipamentos, condições do mar, etc. e pelo gerenciamento preciso da operação de mergulho.

Naza no penhasco do Baby Hole in The Wall.

  • Naza, do Ocean View Hotel, pelos insights da cultura Xhosa da região e pelo excelente passeio ao Hole-in-The-Wall na Wild Coast da África do Sul.

Dave checando todos os detalhes antes do vôo de ultraleve.

  • Dave, da Ballito Microlights, pela emoção de andar de ultra-leve pela primeira vez na vida – e me mostrar o quanto os tubarões são ainda mais lindos de cima… 🙂

December chegando do game drive da noite.

  • December, do Mjejane River Lodge, pela simpatia, prestatividade e monstruoso conhecimento da fauna e ecossistema sul-africanos da região do Kruger. E pelos papos deliciosos por todo o trajeto.

Na Namíbia:

Brave preparando a mesa do pôr-do-sol no deserto da Namíbia.

  • Brave Burk, do The Elegant Desert Lodge, pela dedicação (e cervejas locais) com que nos apresentou ao nosso primeiro – e inesquecível de lindo – pôr-do-sol na Namíbia em meio ao deserto;

Ray garantindo na faca o champanhe do café da manhã no deserto em Sossusvlei.

  • Ray, da Namib Sky Baloon Safaris, por contribuír para minha experiência única e de sonho de ver as dunas vermelhas do deserto da Namíbia do ar – minha primeira vez num balão! Ray e Eric (o dono da empresa) foram incrivelmente prestativos e animados, e ainda mostraram um lado da preocupação com a comunidade e a natureza única do local bem bacanas;

Jens e suas focas.

  • Jens, da Pelican Point Kayaking, por compartilhar sua visão de mundo sobre um lugar tão especial quanto o Pelican Point e sua imensa colônia de focas, além de facilitar as fotos da gente com estas fofuras;

Jacques e Andre, os guias mais sensacionais de Walvis Bay!

  • Jacques Koch e Andre, da Red Dune Safaris, por ser um guia tão inspirador, incrivelmente conhecedor de tudo sobre a Namíbia, e tão generoso em compartilhar detalhes biológicos do ecossistema que amei ouvir. Ele realmente se prepara para cada cliente que tem – é a excelência que mais de 20 anos como guia faz florescer… Altamente recomendado, um dos grandes guias de viagem que tive neste mundo.

<3 Sophie <3

E um agradecimento especial à Sophie, a cachorra do Ocean View Hotel em Coffee Bay, que, apesar de não nos guiar em nada, todos os dias nos dava atenção incondicional. 🙂

A todas estes profissionais que contribuíram para a realização de tantos sonhos, meu mais profundo MUITO OBRIGADA.

Tudo de bom sempre.