Em Kona, na Big Island do Havaí, um mergulho que tem se tornado cada vez mais popular é o mergulho autônomo em “black water“, ou seja no breu do mar à noite. O mergulho é oferecido por algumas poucas operadoras, como a Big Island Divers e a Jack’s Diving Locker. Como o nome já diz, é um mergulho que te faz encarar a escuridão total do mundo sub marinho – e todos os plânctons e pequenos crustáceos bioluminescentes/ coloridos que de repente ficam visíveis ao seu redor na água quando você acostuma seus olhos ao preto profundo.

O objetivo deste mergulho em black water é ver a vida microscópica que a gente não nota de dia, como as diferentes espécies de plâncton e ctenóforos. O mar fica então como se pequenos vaga-lumes estivessem acendendo sua escuridão. Mas é claro, estando no meio do mar, há probabilidade de que animais maiores sejam atraídos para o ponto de mergulho – e de repente você está na sua e dá de cara com um tubarão curioso na sua frente. Raro, mas acontece, principalmente porque ali em Kona o mar é prolífico em espécies pelágicas.

A logística do mergulho é simples. Você sai de barco do píer à noitinha e vai até um ponto afastado da costa, onde a profundidade é gigantesca – ou seja, uma área pelágica mesmo. No local de descida do mergulho, você é amarrado a uma corda de mais de 20 metros, e durante o tempo embaixo d’água você estará o tempo inteiro conectado a ela – mas você não afunda muito, se ficar a uns 15 m já é suficiente para ver bastante vida. A iluminação de lanterna é bem fraca, para que você consiga ver o máximo de bichos e algas transparentes coloridas. A visibilidade em Kona costuma ser sensacional, mas você estará no breu de qualquer forma, então esta variável não importa tanto…

A água-viva ganha um tom fluorescente na escuridão do mar.

Duas coisas acontecem então: primeiro, você praticamente fica parado, apenas em movimento vertical durante o mergulho, o que à noite gera frio; portanto um wet suit grosso é mais que necessário. Segundo, você está ao sabor da maré, indo para onde a corda te leva – e por causa deste aspecto, o mergulho em si é seguro e super-tranquilo para quem tem experiência embaixo d’água. Lógico, é um mergulho altamente desaconselhável para quem tem medo do escuro, ou de mar aberto, ou pior ainda, de ambos.

Mas, para quem encara um pouco de adrenalina no breu e tem curiosidade pelo universo micro, acho que esse mergulho será uma oportunidade única no mundo. Palavra de Malla. 😉

Tudo de sub sempre.