Eu nunca mais vou conseguir olhar pra cara de uma moréia num mergulho sem lembrar dessa constatação sensacional que vi no facebook essa semana:

“Moréias/enguias sempre parecem que acabaram de contar uma piada e estão esperando pela reação dos outros.”

E não é que elas têm mesmo a maior cara de #piadafraca ? 😀

A figura original da brincadeira foi postada na página do “I fucking love science”, mas aparentemente há todo um *segmento* de bad eel jokes rolando pelas internets da vida… (eel jokes… get it?) #maispiadafracadetected

Tudo de humor biológico sempre.

************************

– É, eu sei, hoje é Dia Internacional da Mulher. Como mulher e cientista, eu não posso deixar de puxar a sardinha pro meu lado e indicar a série de artigos da Nature desta semana sobre a mulher na ciênciaPara quem AINDA ACHA (isto sim, #piadafraca e sem graça…) que a ciência é o ramo de atividade onde há igualdade de gênero, os artigos mostram o quanto ainda somos discriminadas dentro da torre de marfim da academia e dentro das diretorias de empresas de biotecnologia, nos congressos científicos e nas editorias de revistas especializadas. O quão desprezadas são as conquistas das mulheres dentro da ciência. E quão o subconsciente coletivo prevalecente da imagem de cientista é masculino. Embora interesantemente em português a ciência seja um substantivo feminino – e o é na mais definida acepção possível do termo substantivo, que tem, é ou dá substância. Um looooongo caminho pela frente ainda precisa ser trilhado para melhorar esta situação. 

Mas eu não perco a esperança, porque acredito que aos poucos os governos e instituições de financiamento estão se comprometendo na mudança. E porque faço questão de ser parte deste processo de mudança.