janeiro, estivemos em Maui com nossas sobrinhas e meu sogro. Aproveitamos uma manhã menos intensa para visitar o Maui Ocean Center, que é o aquário de Maui.

Eu estava super-curiosa para conhecer este aquário, pois uma das biólogas responsáveis pelo santuário de baleias do Hawaii falara maravilhas dele, da sua coleção biologicamente impecável.

O Maui Ocean Center fica no píer de Ma’alea, perto de Kihei. Ele é pequeno, e 100% focado na fauna e ecossistema do Havaí, com os tanques simulando diferentes ambientes encontrados no arquipélago e seus respectivos animais representativos. Eu curto aquário assim, com um tema detalhado, que não tenta abraçar todo o mundo marinho numa nadada só.

O Aquário tem uma área indoor e outra outdoor. Do lado de fora, ficam as tartarugas, os tubarões-martelo e um tanque com animais da zona de maré, que a gente pode tocar – é bem comum esse tipo de interação pelos Aquários do mundo, e em Maui não podia faltar também.

Do lado de dentro, ficam o tanque do recife de coral (com diversos exemplares do humuhumunukunukuapua’a, o peixe do estado), a galeria das águas-vivas e o tanque do mar aberto, com diversos tubarões e peixes pelágicos, pelo qual você pode passar “por dentro” num corredor.

Há também uma galeria com um modelo de baleia jubarte em tamanho real, uma parte explicando a ligação da cultura havaiana com o mar, e uma versão antiga do submersível do Hawaii Undersea Research Lab, em exposição para os curiosos sobre fazer pesquisa nas profundezas do oceano.

Como o Aquário está em posição privilegiada pertíssimo do mar, o sistema que fornece água salgada pros tanques é todo demonstrado para o visitante entender, com a água do mar entrando depois de passar pelos diversos filtros e ser ajustada para osmolaridade, pH e temperatura.

Gostei muito que o Maui Ocean Center venceu a tentação de deixar à mostra um peixe-palhaço Nemo, que virou arroz de festa nos aquários do mundo como pega-isca da criançada. O peixe-palhaço não existe aqui no Havaí, e se ele aparecesse na exibição, seria um ponto a menos no foco do Aquário. A equipe que trabalha no Maui Ocean Center, entretanto, tem elaborado um calendário bacana de atividades com crianças, para evitar que a falta do Nemo e da Dory não seja sentida por elas. Pelo visto, funciona, porque durante nossa visita, não percebi nenhuma criança reclamando nem clamando pelo Nemo. Pelo contrário: elas pareciam extremamente interessadas nos peixes recifais e invertebrados havaianos, com seu colorido espetacular.

Budião-fogo (Cirrhilabrus jordani)

A lei municipal de Maui proíbe a manutenção em cativeiro de golfinhos e baleias, portanto o Aquário não tem nenhum desses animais. O que não é um problema, já que você pode muito bem vê-los  nadando no mar de Maui ali em frente (principalmente no inverno, quando as jubartes fazem a festa na região perto do Aquário…)

Em Maui dá pra qualquer pessoa fazer snorkels excelentes em trocentos recantos da ilha, vendo no habitat natural todos os animais que estão à mostra no Maui Ocean Center. Portanto, o Aquário serve fundamentalmente como complemento educativo, para os moradores da ilha e os turistas que o visitam (e são cerca de 400,000 por ano!). Aprende-se muito sobre o que provavelmente se viu ou se verá durante uma estadia na ilha. Não é, portanto, um aquário contemplativo, como a maioria dos Aquários do mundo; é um aquário bastante complementativo. Diferente, ora pois.

O passeio é ideal para crianças e famílias. Ou para interessados em aprender um pouco sobre as espécies únicas do Hawaii. Você não gasta nem metade do dia visitando, nós passamos uma manhã porque eu parava em cada exibição por um tempo considerável (dá pra ser mais sucinta). Acho o passeio ideal para momentos de espera de passeios de barco (que geralmente saem do píer de Ma’alea).

Particularmente, eu adorei o Aquário pelo cuidado da organização, pelo carinho com os detalhes das espécies e pela própria estrutura, pequena mas ajeitada. Se você tiver um tempinho extra em Maui, recomendo a visita.

Tudo de bom sempre.