E eis que o estado lançou mais uma data comemorativa com probabilidade de cair nas graças mundiais: 18 de fevereiro agora é Dia Mundial das Baleias. O lançamento da data acontece hoje em Maui, epicentro da temporada de baleias no Havaí.

Todo ano, as baleias jubartes migram pro Havaí no inverno em busca de águas mais quentes para se reproduzirem e darem à luz. O mar no período entre dezembro e março, quando elas estão aqui, fica bem animado: em toda praia que você vai, corre o risco de ver uma baleia ativa. Como nos últimos anos a população de jubartes que visitam o arquipélago felizmente tem crescido, as chances de avistá-las têm aumentado ainda mais.

(Parênteses: Para vocês terem uma idéia da loucura que vem sendo, há umas semanas duas baleias foram parar dentro da área do porto de Honolulu, praticamente dentro do Aloha Tower e na cara do downtown Honolulu! As fotos que a moçada postou foram impressionantes.)

Mas, se ao vir ao Havaí, você quer ter certeza absoluta de que verá baleias… Maui é o lugar. Porque as baleias simplesmente a-d-o-r-a-m ficar no “cercadinho” natural formado pelas ilhas de Kaho’olawe, Lana’i, Moloka’i e Maui. Se você olhar no mapa, dá pra entender melhor. [Mapa original tirado daqui, adicionei apenas o nome das ilhas.]

Nós já vimos baleias aqui no Havaí – e continuamos vendo com frequência no inverno. Mas mês passado quando estivemos em Maui estávamos com as sobrinhas e o pai do André, então resolvemos fazer um passeio de whale watching típico. Escolhemos a mesma ONG que nos levou pra Molokini da outra vez, a Pacific Whale Foundation. O serviço é padrão, eles devolvem o dinheiro se nenhuma baleia for avistada – o que é praticamente impossível. Mas os barcos são maiores, há o acompanhamento de um biólogo, e, muito importante, parte da verba arrecadada com os passeios vai para o levantamento de dados sobre baleias aqui – ou seja, é convertido em um pouco que seja de ciência.

Programamos para fazer o passeio de ~2h mais próximo do pôr-do-sol, para finalizar o dia. O barco catamarã sai do píer de Ma’alea, perto de Kihei, e fica rodando pelo “cercadinho” das ilhas que falei acima, sem nunca ficar muito longe da costa de Maui. No barco, drinks e salgadinhos à venda – quem quiser pode levar seu lanche também.

Píer de Ma’alea.

Assim que saímos do píer, já avistamos a primeira baleia, um pouco longe. O que a gente vê primeiro é o bafo/borrifo que ela solta na superfície ao respirar, e uma vez que você aprende a localizar esse borrifo, fica bem mais fácil treinar o olho pra achar mais baleias depois.

O borrifo da baleia.

Nem 10 minutos de passeio, um grupo enorme de baleias apareceu no horizonte. Eram uns 8 indivíduos – machos competindo pela atenção de uma fêmea. A movimentação na água era intensa, várias caudas mergulhando, bafo pra tudo quanto é lado, mas nenhuma delas saltou alto, apenas pequenas tentativas.

A lei manda que o barco fique a pelo menos 100 jardas (~90m) de distância das baleias quando as avista. Mas, claro, as baleias não conhecem lei, e algumas vezes a gente está no barco e elas é que se aproximam mais e mais. Nesse caso, a regra diz que deve-se desligar os motores, para evitar colisão. E aproveitar o momento.

No nosso passeio, isso aconteceu nos momentos finais. O barco em velocidade total, a caminho de volta do píer, e de repente uma baleia enorme aparece pra respirar a menos de 25m do barco. Todo mundo levou um susto – dos bons, mas ainda assim susto.

Esses círculos na superfície da água são as “pegadas” de 2 baleias. É como identificamos que acabaram de passar por ali – mesmo que não as tenhamos visto.

Enquanto as baleias dão o show delas no mar, os guias do passeio ficam no microfone comentando fatos e curiosidades sobre as jubartes, com bastante foco no que é conhecido da população havaiana desses cetáceos. Como o grupo de baleia que víamos estava bem agitado, os guias decidiram colocar na água um microfone, para ouvirmos a bagunça lá embaixo. Uma cantoria sem fim, mas não melódica; era uma conversa bem mais confusa entre as baleias, que dava a sensação de competição mesmo. Um barato!

Depois de 2h de passeio, o barco volta ao píer. Cada passageiro tem direito a um poster de baleia, e para buscá-lo você precisa ir até a lojinha da ONG – o que significa ser tentado ao consumo ajudar mais ao projeto.

Enfim, nós adoramos o passeio, e as sobrinhas amaram ver tão de perto a baleia. É uma oportunidade de ouro para aprender e entender porque quando lidamos com animais no ambiente deles, a imprevisibilidade é constante – e porque isso torna tudo muito mais divertido.

Tudo de bom sempre.

A bordo com as sobrinhas, e a ilha de Lana’i ao fundo.

*********************

– Em todas as principais ilhas do Havaí, há passeios para avistagem de baleias durante o inverno. Em Maui, elas estão em maior número, então maiores as chances de vê-las se fizer um passeio lá.

  • debora simone pires

    Lúcia, muito bom poder contar com suas informações.
    Chego em Honolulu em 29/2. Fico 4 dias, vou a Maui por 1 semana, depois sigo p/ Big Island para mais 1 semana e retorno p/ Oahu por 4 dias (finais). Vou com meu namorado.Vc poderia recomendar hotéis com bom custo benefício? E cidades ou bairros que julga bons p/ hospedagem? Alugaremos carro, exceto nos 4 dias finais. Muitíssimo obrigada.
    Débora

  • Oi Débora, em Maui: Kanapali é um bairro cheio de hotéis bons e razoavelmente baratos. Aston e Westin são redes que têm hotéis decentes por lá.
    Na Big Island: em Kona há vários bed & breakfast e hotéis mais baratinhos, no centrinho da cidade mesmo. Ou tente o Sheraton também, em Keauhou Bay. E se quiser beeeem barato, o Seaside é uma boa opção (mas não espere nem 3 estrelas, é hotel simples e bem localizado).
    Em Hilo, na Banyan Drive ou na cidade de Volcano há as melhores opções. O Henrique ficou no Chalet Kilauea Inn e gostou.
    Em Oahu: Waikiki é o bairro que tem mais opções em conta, como os hotéis da rede Aqua, o Marriott, o Aston e o Ala Moana Hotel.

  • debora simone pires

    Muito obrigada Lúcia.
    Suas dicas são muito úteis.
    E seu blog é magnífico.
    Parabéns!

  • Oi Débora, obrigada pelas palavras gentis! E aloha! 🙂

  • Oi, Lu! Tudo bem?
    Seu post foi selecionado para a #Viajosfera, do Viaje na Viagem. Dá uma olhada em http://www.viajenaviagem.com
    Até mais,
    Boia

  • Puxa, Bóia! Muito obrigada!!! É sempre uma honra aparecer por lá. 🙂

  • Guta

    Isso é lindo demais! Ja vi baleias em San Diego e quase chorei de tão lindo e emocionante! Quero mais! Havai/Maui estão na lista! 🙂
    bjus!

  • Oi Lúcia, que demais este passeio! Deve ser emocinante chegar tão perto desses animais não é!
    Adorei o post, as dicas e as fotos!
    Beijoos

  • Guta, põe na lista mesmo! Vale muito a pena! 🙂
    Monique, valeu!
    Beijos às 2!

  • Pingback: 8 anos de uma Malla pelo mundo - Uma Malla Pelo Mundo()

  • Pingback: Feedback de viagem: Juliana - uma pessoa aloha! - Uma Malla Pelo Mundo()

  • Pingback: 59º Domingão de Twittadas | Hawaii | Domingão de Twittadas()

  • Pingback: Ma’alaea Bay em Maui: O melhor lugar para ver baleias no Havaí | MauOscar Blog de Viagens()

  • Flora

    Lucia,
    Não sabia dessa concentração de baleias em Maui. Soube hoje no blog do Oscar e cheguei aqui. Que coisa mais linda! Preciso ir ai um fevereiro desses. Bjs

    • luciamalla

      Ah, Flora! Venha mesmo, porque é imperdível – e oimpossível não vê-las, porque são muitas! Bjs!

  • Pingback: O Havaí do Globo Repórter - Uma Malla Pelo Mundo()

  • Pingback: Havaí by Malla - Uma Malla Pelo Mundo()