Tem umas coisas que você só encontra no Japão, mesmo. Como todo bom curtidor nipófilo sabe, no Japão são notórias as vending machines, ou máquinas de venda automática – na realidade, na Coréia também. Aquelas máquinas em que você põe moedinhas ou cédulas e sai o seu produto. Já são comuns pelas ruas e metrôs as máquinas de refrigerantes, bebidas, cigarros, café, livros, revistas em quadrinho e até bijuterias.

Mas ano passado, em Kyoto, vi uma que achei fantástica: a máquina de vender comida. O restaurante foi sugestão de um amigo nosso de lab que morou por muito tempo no Japão, e era uma dessas portinhas minúsculas. De acordo com ele, esse tipo de “restaurante automatizado” é a escolha de almoço mais barata do país – o que deveria entrar no orçamento de qualquer mochileiro que ande por aquelas bandas, já que o país é notório também por ser extremamente caro para se visitar.

Funciona assim: logo na entrada do restaurante, você se depara com a máquina. Nela, estão todas as opções de almoço. Você escolhe o que quer comer, aperta o botão da comida escolhida, paga na máquina, e ela emite um tícket.

Você entrega o tícket para uma mocinha que está de pé ali do lado e se senta para aguardar. Menos de 2 minutos depois, seu almoço já está na mesa.

Eu escolhi um PF japonês que vinha com salada, arroz, sopa de missô e galinha e cogumelo frito com legumes. A cerveja Kirin inclusa no pedido. 😉

Como são comidas básicas do menu cotidiano dos japoneses, o almoço sai rápido e é sem muitas frescuras, tipo PF mesmo. Por menos de 10 dólares, o que por aquelas bandas é uma grande pechincha.

#ficadica

Tudo de bom sempre.

*****************

– Esse é meu post do Blog Action Day 2011, cujo tema deste ano é Comida. Aparentemente, sob todos os aspectos possíveis e imagináveis – até os automatizáveis.