Todo mundo sabe que eu adoro uma lista, e que venho acompanhandohá alguns anos a eleição das novas 7 maravilhas do mundo – por mais “forçação de barra” que todo o esquema da votação seja, eu adoro esse clima de escolher entre tantos points lindos de viagem. Então que eu não poderia deixar de dar meus pitacos agora que já estão na etapa final do projeto para eleger as novas 7 maravilhas naturais do mundo, com 28 locais escolhidos dentre os mais de 400 inicialmente nomeados.

Os finalistas estão indicados no mapa abaixo:

Mais uma vez, vemos a força da internet em um lugar bem conectado a ela: acho que a Ilha de Jeju, ao sul da Coréia do Sul, jamais apareceria sequer na nomeação se não fosse pela possibilidade de ter sido indicada diretamente e ter recebido votação maciça dos próprios coreanos. Estive em Jeju duas vezes, em 2004 e 2005. A ilha é muito interessante, vulcânica, com crateras bem bonitas e estrutura de turismo muito eficiente. Mas por exemplo, perde em minha opinião pra qualquer ilha havaiana no quesito paisagem natural, e quase perde inclusive pra outra ilha na própria Coréia, Ulleungdo, que tem uma paisagem natural de penhascos muito mais espetacular. Entretanto, ainda assim, acho bacana que Jeju tenha sido colocada no mapa pela votação, porque é um lugar que definitivamente merece ser visitado quando se está pela Ásia – e era até então muito pouco conhecido do mundo.

O costão de Jusangjeollidae, uma das diversas maravilhas da Ilha de Jeju, na Coréia do Sul.

Por outro lado, fico imensamente feliz de ver locais de beleza incrível e importância inestimável que andam negligenciados pela maioria na lista. Caso em questão: os Sundarbans, na divisa costeira de Índia e Bangladesh. A área é um estuário com uma população singular de tigre-de-bengala que aprendeu a caçar (e identificar como potencial presa) humanos – ou seja, um comportamento único. O manguezal é crucial para a manutenção saudável de diversos outros ecossistemas laterais ao local. Tem uma fauna peculiar. Tem uma floresta valorosa. Tem um regime de águas do qual depende muitos milhões de pessoas. Então, mais que merecido estar nessa lista restrita.

Do Brasil (e países vizinhos), aparecem 2 grandes monumentos naturais: a Amazônia (no caso, dividindo com Guiana, Venezuela, Colômbia, Peru, Equador e Bolívia) e as Cataratas do Iguaçu (divididas com Argentina). Ambos merecedores, claro.

Cataratas do Iguaçu, vistas do lado argentino.

As cataratas são realmente impressionantes, e, embora eu não tenha visitado a Victoria Falls, na África, ouço de todos que conhecem ambas que a impressão em Iguaçu é muito mais exuberante – ou seja, uma verdadeira maravilha natural no item “cachoeiras”.

Dentro da floresta Amazônica na época da cheia.

A Amazônia entrou como finalista, em minha opinião, pelo “conjunto da obra” – é quase hors-concurs, em minha opinião. É um dos ecossistemas mais fundamental, rico, vasto e maravilhoso do mundo, sem discussão, sob qualquer ponto de vista ecológico-turístico-espetacular que se pense. Reúne em si inúmeras características básicas para se tornar uma “maravilha do mundo”. Aliás, já é uma maravilha, só falta o aval final da competição acima.

Além destas 2 maravilhas brasileiras e dos Sundarbans, eu gostaria de ver na lista final das 7 maravilhas a Grande Barreira de Corais Australiana, a Ilha de Galápagos, as Maldivas (pela fragilidade do ecossistema) e o Grand Canyon – embora fique com um aperto no coração de não ver o Kilimanjaro nesse bolo. Há uma lista reserva, onde aparece Fernando de Noronha e algumas maravilhas nota 10 que não conseguiram votação (e suporte político local…) suficiente. Mas principalmente, sinto falta, tanto na final como reserva, do Everest.

Enfim, o fato pragmático é: precisa escolher, e entre tantas maravilhas pelo mundo, essas 7 que citei acima acho que representam bem o nosso planetinha azul e belo. Né não?

Tudo de bom sempre.

**********

– Quem quiser participar, eis o link pra votação – vai até dia 11 de novembro de 2011.

  • Allan

    Pra falar a verdade, listas de preferências me deixam ansioso. Tenho a impressão de estar eliminando tudo o que não for incluído. É por isso que não gosto delas, apesar de reconhecer a utilidade dessas listas ao incentivar uma disputa saudável (?) e nos fazer conhecer um pouco mais deste mundo que nos rodeia. Vou visitar todas as indicações mas não vou votar. 🙂

  • rabbit

    Oi Lucia
    feliz dia de Iemanjá
    (sempre lembrando que hoje aniversariamos eu e o Caboquinho lá de Itaúnas!!!!)

  • Allan, visite-as. É mais importante que votar… 😉
    rabbit, obrigada pela felicitação!!! E feliz aniversário especialíssimo pra vc e pro Caboquinho!! Saudade daquele café, viu…
    Bjs!