Cresci ouvindo a minha vó repetir incansavelmente a frase-título deste post. Bastava alguém ter um ataque nervoso, ficar estressado com algum problema ou começar a chorar de raiva, e lá vinha ela da cozinha com uma xícara de chá de camomila quentinho e adoçada com o carinho que só vó tem pra dar. Era sua maneira fofa de prestar ajuda. Saudades da vovó.

De qualquer forma, o conhecimento que minha vó reteve sobre as vantagens calmantes do chá de camomila foram herança de seus antepassados, que provavelmente sempre tomavam o chá (e o receitavam) em momentos estressantes. Conhecimento popular medicinal de uma erva que se propagou.

Mas aí eu, sua neta, virei cientista. E passou a ser cada vez mais incômodo para mim encarar o chá de camomila da vovó sem desconfiar que sua eficácia não era um simples efeito placebo – shame on me por tal ceticismo desmedido em época que mais valia o carinho da vovó que o efeito da camomila em si para acalmar as minhas aborrescências.

Ontem, entretanto, relembrei com carinho das xícaras de chá de camomila da vovó. Isso porque li no PsychCentral que finalmente um grupo de pesquisadores da unidade de Pesquisa em Depressão da Universidade da Pensilvânia resolveu testar o chá de camomila de maneira científica. Usaram o extrato da planta conhecida como camomila (cujo nome científico é Matricaria recutita) em pacientes que sofriam de forma leve a moderada de transtorno de ansiedade generalizado, uma patologia psiquiátrica caracterizada pelo nervosismo, ao ponto de interferir dramaticamente em suas atividades diárias. E o resultado foi a confirmação da sabedoria popular.

Usando uma escala psiquiátrica desenvolvida para diagnóstico de transtornos de ansiedade, os pesquisadores identificaram um grupo de pacientes para participarem do estudo. Não puderam participar pessoas com histórico de outras doenças psiquiátricas nem com outras “instabilidades” médicas (câncer e insuficiência renal, por exemplo). Os participantes foram monitorados fisiologicamente (exames de sangue, urina, batimento cardíaco, etc.) e submetidos a cada semana do estudo a 4 diferentes questionários/avaliações usadas comumente na clínica médica para indicar sintomas “estruturados” de ansiedade.

Depois de 8 semanas consecutivas, os pesquisadores perceberam uma redução da ansiedade nos pacientes que tomavam camomila em comparação com o grupo que tomou placebo (de verdade), em diversos dos parâmetros medidos. O trabalho criterioso de validação científica de uma planta medicinal foi publicado no Journal of Clinical Psychopharmacology.

Pra ser sincera, achei muito bacana o trabalho. Porque vai atrás da ciência por trás de um conhecimento popular antiguérrimo. Porque confirma as benesses de um medicamento natural – e se lembrarmos que a maioria do que é vendido como “remédio natural” não tem nenhuma validação científica, o estudo se torna mais interessante ainda. É aquela história: em vez de ficar só reclamando da medicina natural, dizendo que é pseudociência blablabla, o grupo foi lá e fez algo para acabar (ou começar de verdade…) com a discussão. Palmas.

De lambuja, o estudo também consolida o velho ditado que a minha vó repetia sempre, sentada na varanda lá de casa, tomando seu chazinho de camomila da noite pra dormir o sonho dos anjos: “quando o povo diz, ou foi ou é ou tá pra ser”.

Vovó sabia das coisas… ;)

Tudo de bom sempre.

  • Liana Vidigal

    Se mãe sabe tudo, imagina avó!!! As minhas são sábias e não discuto com a sabedoria delas. Beijos

  • Carmem

    Pois é, a voz do povo sempre tem fundamento.

  • Claudia Chow

    Só me pergunto pq demoraram tanto pra fazer esse estudo, né?

  • RoCosta

    Malla sempre que minha filha (quando ainda um bebê) ficava agitada dava a ela um chá de camomila e sempre funcionou… ;-)
    Beijão!

  • Carla

    Que delícia saber disso, Lucia! Outra coisa importante de estudos desse tipo é que, sabendo que o chazinho realmente funciona, a gente também começa a pensar em quais as interações que esses chazinhos podem ter com os “remédios de farmácia”. E isso é tão mais importante que ficar gritando “pseudociência” para tudo que a gente ainda não sabe como/se funciona.
    Um dos grupos que faz esse tipo de estudos no Brasil é o cebrid. Pra quem se interessa pelo assunto, eles tem um boletim de farmacovigilância em plantas medicinais: http://www.cebrid.epm.br/index.php
    (E viva a etnofarmacologia!)

  • Alline

    Amei a frase da vovó Malla: “quando o povo diz, ou foi ou é ou tá pra ser”.
    Camomila rules.
    Bjs

  • http://luciamalla.com Lucia Malla

    Liana, não se brinca com avó… principalmente com d. Didi! :D
    Carmem, e não é? ;)
    Claudia, me fiz a mesma pergunta… e o mesmo vale para os outros trocentos medicamentos “naturais” para os quais não há estudo algum.
    RoCosta, sabe q uma amiga minha sempre fazia o mesmo com os bebês dela? Eu não sei se mamãe chegou a me dar chá de camomila quando bebê (provavelmente sim, dado q minha avó morava pertíssimo e eu era uma chorona).
    Carla, abre toda uma rodovia cheia de possibilidades para novas pesquisas, etc. Valeu o link do cebrid, bacana!
    Alline, minha vó era o máximo. Tenho muitas saudades dela.
    Beijos!

  • Patrícia Köhler

    Adorei saber disso. Minha mãe leu o texto e gostou muito também.
    Espero demais que os estudiosos estejam certos, eu vou até começar a tomar o chá (mas não o de saquinho, vou comprar a planta em farmácia mesmo) por uns dias e, quiçá, pra sempre. ;-)

  • viviane

    estou sofrendo de ansiedade,tomo fluoxetina e ta atacando meus nervos,vou fazer um teste com camomila………..espero que me ajude………….

  • http://luciamalla.com Lucia Malla

    Pat, pelo visto, canja de galinha e chá de camomila não fazem mal a ninguém. #dietadosprudentes :D
    Viviane, converse com seu médico antes de tomar qqer medida relacionada ao seu medicamento. Ele é quem sabe melhor sobre o assunto.
    Bjs às 2.

  • Donizete

    Muito útil estamos pecisando muito se acalmar. Remédios caseiros e conhecidos sempre é bem vindo e faz bem psicologicamente.
    http://www.curarprostata.com
    Donizete

  • Remédios Caseiros

    Realmente os remédios caseiros e medicamentos naturais sao uma ótima alternativa. Hoje com o crecimento das farmácias a medicacao ficou muito mercantilizada. Antigamente eram muito mais comuns a utlizacao de ervas e plantas medicinais. Ainda me lembro de minha vó me dando um chá de camomila que funcionava que era uma beleza! Viva aos remédios caseiros e naturais!

  • Carlos

    Minha gente se pararmos pra refletir todo brasileiro tem o sangue de índio, que por sua vez sempre se tratou suas doenças das plantas, analise bem, primeiro Deus criou as plantas, depois o Homem; aí o Homem veio e inventou o remédio industrializado tirado da onde? Das plantas; se não fosse as plantas da onde eles tirariam o remédio? Pra finalizar, o Homem veio nada mais nada menos da própria natureza, é na natureza também que surgem as doenças é lá que encontramos os soros para as curas. Obrigado

  • maressa

    eeeeeeeeeeeeee