Premiere de Lost

Desde o início da semana, não se falava em outra coisa aqui no Havaí: o Sunset on the Beach de sábado em Waikiki, que mostraria o 1º episódio da temporada final de “Lost”. Pessoas que nunca viram “Lost” na vida confirmavam a ida para as areias de Waikiki – imagina os fãs hardcore (como eu), então…

Então chegou sábado. Uma chuva chata insistiu a manhã inteira. Meu plano inicial era passar o dia na praia, esperando no meio da bagunça. Mas na 4a feira lembrei que tinha um compromisso inadiável que me ocupou toda manhã e só poderia chegar na praia depois das 2 da tarde. Os relatos no twitter desde 8 da manhã confirmavam que Waikiki já estava enchendo. Minha sensação era de um mini-réveillon de Copacabana prestes a acontecer. E eu presa numa sala de computadores. Ironicamente, na mesma esquina onde meses atrás vi a filmagem de uma das cenas da nova temporada.

Finalmente deu 2 da tarde e chegamos em Waikiki. A praia estava, como previsto, cheia.

Calçadão lotado.

Areia também…

Um sol gostoso, e eu assando numa calça de veludo e blusa preta (!). Como bem disse o Fábio Rex, uma “mineira internacional”. 😀

Visão geral da praia de Waikiki com Diamond Head ao fundo e a tela do Sunset on the Beach.

Meu almoço.

Como todo bom grupo farofeiro, levamos um cooler cheio de bebidas e comidinhas para passar a tarde na praia. Mesmo assim, decidi almoçar algo mais “substancial”. Perto da gente, duas barraquinhas: uma de cachorro-quente e shave ice, e outra de crepes. Não resisti ao crepe de banana e nutella.

Encontrei Ryan (também conhecido como @hawaii) na praia, conversei um pouco sobre o excelente trabalho que ele fez ao organizar o “Lost Tour” para os fãs que vieram do continente ver a abertura da temporada na praia.

A diversidade de camisetas de fãs de “Lost” impressionava. Para todo lado que olhávamos, um símbolo do Dharma Initiative. Ou os números. Ou “Namaste-Aloha”. Ou alusões ao Oceanic 815. Tinha até um bebê com roupinha Dharma! 4 meninas de blusa amarela eram o “Team Jack”, e uma delas vestia uma camiseta onde se lia: “Your mother is an Other”. Achei ótimo! Meus vizinhos de canga passavam pelo celular uma foto de um sushi de “Lost”.

Bebê Dharma.

Os números lostianos.

Às 5 da tarde, a bagunça aumentou consideravelmente, com a chegada dos primeiros atores. Enquanto um trio de música havaiana entretia com um som bem background de praia, a moçada se acotovelava para ver no tapete vermelho os ídolos da série. Nestor Carbonell (Richard Alpert) era o mais animado, tirando várias fotos com fãs, inclusive pulando a grade de proteção para assinar autógrafos e afins.

Naveen Andrews e fãs.

Parecia inacreditável que todo o elenco estaria ali, naquele evento. Uma honra e tanto. A galera estava animadésima. O twitter fervia – minha bateria do celular acabou de tanto que tirei fotos, twittava e checava sites.

Os atores começam a chegar no tapete vermelho… Não dá pra segurar a vontade de tietar. 😛

Terry O’Quinn com um lei branco muito delicado.

A bandinha saiu do palco e o prefeito de Honolulu começou a agradecer a equipe de “Lost” por fazer propaganda tão positiva do Havaí. A essa altura do campeonato, pelamor, ninguém queria ouvir politicagem. Os produtores de “Lost” perceberam isso e subiram ao palco, para dar o pontapé inicial no evento. Carlton Cuse e Damon Lindelof começaram a chamar, um por um, os atores. A platéia delirava.


Produtores em cena.

Eu gritei e aplaudi e vibrei e assoviei com todos os atores. Terry O’Quinn (John Locke), Michael Emerson (Benjamin Linus), Josh Holloway (Sawyer), Evangeline Lilly (Kate), Daniel Dae Kim (Jin), Jorge Garcia (Hurley), Ken Leung (Miles), Henry Ian Cusick (Desmond), Nestor Carbonell (Richard Alpert), Naveen Andrews (Sayid), Yunjin Kim (Sun), Emille De Ravin (Claire),Harold Perrineau (Michael), Jeff Fahey (Frank Lapidus), Zuleikha Robinson (Ilana) e principalmente, Matthew Fox (Jack), o último a subir no palco sob uma salva de palmas alucinada. (Ausências que senti: Dominic “Charlie” Monaghan e Elizabeth “Juliet” Mitchell.)

Yunjin Kim subindo ao palco.

Parecia um sonho, ver o brilhante elenco da que considero a melhor série da TV americana ali pertinho. Atrás, a famosa cena da “Última Ceia” versão Lost. Inesquecível.

Elenco, prefeito e Última Ceia versão Lost.

Então todos desceram do palco, e começou a passar o “Lost in 8:15”, um mega-resumão de toda a série feito em 8min e 15seg. A narradora parece uma leiloeira, falando rapidamente toda a história de “Lost”.

Aplausos mil ao fim desse clipe alucinado.

E aí começou o 1º episódio de “Lost”!!!! Um silêncio mortal caiu sobre Waikiki. Dava pra ouvir o zumbido de um mosquito. Incrível, dadas as milhares de pessoas presentes. Isso que é interesse…

(Não vou colocar spoilers do episódio aqui, mas preciso dizer que: 1) Desmond me deu um nó na cabeça; 2) por milissegundos aparece um tubarão na tela… adorei! 😀 )

Ao fim da apresentação, mais aplausos e todo mundo correu para a barraquinha ao lado do palco, onde a ABC distribuía camisetas especiais da estréia. Estou com uma aqui para sortear no blog, tamanho “M”. Cavalo dado não se olha os dentes, mas para não cair em propaganda enganosa, já aviso logo que a malha da blusa é fininha, vale mais como recordação. E pela brincadeira. 😀

Sendo este um blog “viajante” e sendo Lost uma das séries mais viajantes da história da TV, para participar do sorteio, basta viajar nos comentários deste post até esta terça-feira, dia 02 de fevereiro, às 23:59 (horário do Havaí), respondendo a seguinte pergunta:

“Se você fizesse uma viagem no tempo e espaço para a ilha de Lost, qual seria o PRIMEIRO lugar que gostaria de visitar no seu tour e em que período específico da história da ilha?”

A resposta mais criativa (de acordo com o julgamento do pessoal aqui em casa) ganha a camiseta. Boa sorte!

Tudo de Lost sempre. E que venha a última temporada!

Postado em 31/01/2010 por em Havaí, Ilhas, Praias, TV