Baía de Kealakekua

Uma baía onde grupos de golfinhos rotadores (Stenella longirostris) vêm passar o dia após sua jornada de alimentação em alto-mar. Uma baía protegida de uma ilha oceânica e com visibilidade em torno de 20m, excelente refúgio para o descanso. Não, não estou falando de Fernando de Noronha. O mesmo comportamento acontece na Baía de Kealakekua, na Big Island do Havaí, mas com uma diferença: lá não há impedimento legal para mergulhar com eles. De manhã bem cedo, os golfinhos chegam e ficam até de tarde, nadando vagarosamente, como a descansar. Uma excelente oportunidade para apneístas apreciarem a espécie. A baía é protegida por grandes penhascos e isso mantém o mar sempre calmo por ali, fazendo o trecho de cerca de 100m a partir da mansa praia de cascalhos de lava que leva até os golfinhos tranquilo de ser encarado. Os golfinhos propiciam um espetáculo de balé subaquático com toques de leveza e graça que torna todo o ambiente mágico. A regra ambiental do Havaí é clara: não podemos tocar os golfinhos, eles é que devem vir até você… Mas a verdade é que eles parecem não se incomodar com os humanos observadores e com isso, você pode aproveitar a aproximação e se deixar levar pelo fascínio. Os golfinhos rotadores encantam enquanto você curte a chance de interação pacífica com um animal tão dócil.

(Texto originalmente publicado na Revista Mergulho de dezembro/07)

**********************

Baía de Kealakekua

Gostaria de aproveitar o destino da Sexta Sub e acrescentar aqui alguns detalhes sobre o passeio.

Kealakekua Bay fica ao sul da Big Island, no lado de Kona, na vizinhança de Captain Cook. É uma área onde prevalecem os havaianos nativos. O local tem algumas pousadinhas, mas não espere nenhum comércio intenso. O resort mais perto fica a meia hora de distância. Para ver os golfinhos mais de perto, é preciso chegar de manhã cedinho, antes das 7 da manhã. O que nós fizemos quando lá fomos: saimos todos os dias sem café da manhã, comprávamos algo rápido qualquer-nota pelo caminho e chegávamos antes da maioria. Quanto mais cedo, mais os golfinhos estão perto do shore. À medida que a manhã vai passando, os golfinhos tendem a se afastar da beiradinha e você precisará nadar mais e mais para vê-los.

Eles estão ali descansando, então todos os movimentos são vagarosos, como um balé tranquilo. Os mais novos brincam, mas a maior parte deles está dormindo – e eles não param de nadar quando “dormem”, vale ressaltar.

A baía é um passeio para aproveitar ao máximo seu tempo na água, com os golfinhos, apreciando o recife de coral ou simplesmente relaxando. Nem sonhe em ficar tomando sol numa canga ou numa cadeira de descanso: não tem areia ali. A praia é completamente pedregosa, de rochas de lava redondinhas, onde mal conseguimos sentar – deitar é impossível. Portanto, Kealakekua é o passeio ideal para o início do dia: você nada com os golfinhos, curte o mergulho e depois pega a estrada para uma praia diferente com areia, ao sul ou ao norte da ilha, onde finalmente terás seu lugar ao sol. 😛

Tudo de bom sempre.

  • fernanda

    São lindos todos os golfinhos!

  • luluzita

    =)

  • Vinicius Buccazio

    Oi Lúcia,
    Para nadar com os golfinhos eu preciso ir até o momento de captain cook? Ou a partir da baía de kelakuea já é o suficiente?
    Existe estacionamento próximo ou eu tenho que fazer trilha até lá?
    É um sonho nosso fazer snorkel com os golfinhos, mas fiquei em dúvida se precisava pegar algum passeio de barco ou kayak.
    Um abraço,
    Vinicius