Preço do cação no varejo do Ceagesp semana passada

Os que me conhecem de outros carnavais (e acho que os que pouco me conhecem também) percebem que há tempos eu venho martelando aqui nesse blog sobre a questão da matança dos tubarões mundo a fora. O quanto esse grupo de animais é importante pro ecossistema marinho, o quanto vem sendo ameaçado, a ponto de pesquisadores pelo mundo e da própria ONU já terem declarado que os tubarões devem ser prioridade máxima de conservação no mundo atual.

Minha preocupação em disseminar tal informação (por demais esquecida pelas pessoas em geral) é tamanha que fiz questão de enfatizar isso logo no primeiro tópico do guia Malla de consumo de peixes:

“1) NUNCA compre cação. NUNCA coma cação, independente de onde você more. Tubarões ou cações são peixes ameaçadíssimos de extinção no mundo inteiro e ao comê-los, você incentiva o tenebroso comércio de barbatanas pra China.

Há outros peixes bastante ameaçados também, como o atum, o bacalhau e o salmão. E para todos eles, o preço da carne é proporcional à sua raridade, com o bacalhau liderando o ranking dos mais ameaçados e, portanto, dos mais caros. Razoavelmente lógico, não? Mas então… por que o mesmo não acontece com o tubarão? Por que a carne de cação é das mais baratas vendidas do mercado?

Hoje, eu encontrei os seguintes preços no portal do CEAGESP:

– Polvo: R$14,00/kg

– Camarão rosa pequeno: R$12,00/kg

– Linguado: R$10,00/kg

– Salmão: R$14,00/kg

– Badejo: R$14,00/kg

– Salmão: R$23,00/kg

– Robalo: R$22,50/kg

– Atum: R$11,00/kg

– Pescada grande: R$5,00/kg

– Tilápia: R$2,50/kg

Cação: R$4,50/kg

Sendo que no varejo o produto é vendido mais caro.

Há peixes mais baratos e sustentáveis, como a tilápia. Mas dentre aqueles extremamente ameaçados que estão à venda no mercado brasileiro, o cação é sem dúvida o mais barato de todos. Uma contradição que tentarei explicar aqui.

No Brasil, não é proibido pescar o tubarão e vender sua carne no mercado. É proibida pela portaria 121-N do IBAMA (link em pdf) a prática do “finning” – ou seja, matar um tubarão apenas para retirada das barbatanas, descartando a carcaça do animal no mar, onde o bicho tem pouquíssimas chances de sobrevivência sem a barbatana para auxiliar em seu deslocamento. E os barcos de pesca brasileiros não fazem isso. Nas palavras de um pesquisador, que lemos na reportagem da Folha de ontem:

“Hoje, a prática do “finning” em águas brasileiras praticamente não existe. Os barcos nacionais aproveitam 100% dos tubarões capturados e os estrangeiros têm observadores de bordo.”

E será que por isso então é ok matar o animal? O número de tubarões perdidos por ano continua aumentando, o dano ao ecossistema continua o mesmo, com ou sem finning, independente da semântica da lei. A lei, nesse caso, é mero subterfúgio conivente a interesses financeiros maiores.

Todo pescador no mundo sabe que a barbatana é o bem mais cobiçado de um tubarão, por causa da demanda no mercado asiático. Quando um pescador pesca um tubarão, em geral a primeira ação que toma é separar a barbatana, ainda em alto-mar, e pôr para secar. E o resto do bicho vira subproduto – porque o principal já está garantido para o comprador chinês/taiuanês. Na maior parte do mundo, a carcaça vai pro mar. No Brasil, sobram nos congeladores dos barcos quilos e mais quilos de carne. Que são levadas ao continente para comércio.

Por uma razão cultural (?), os brasileiros consomem a carne do cação, que é um lucro “colateral” limpo para o pescador. O gerador de lucro mais controverso, a barbatana, já está longe há tempos quando você vê a carne de cação no mercado. O “finning”, único e exclusivo, na definição simples da lei, realmente não existe no Brasil. Ele existe mascarado pela venda da carne de cação.

E é essa brecha da legislação do IBAMA que permite à indústria pesqueira nacional continuar dizimando tubarões – porque a carne é consumida. Barata, ainda por cima – quanta ironia… Para mudar essa situação em prol de um ecossistema marinho sustentável, a meu ver é fundamental que se proíba a pesca de tubarões, sua comercialização completa. Tornando essa atividade ilegal, pelo menos o IBAMA poderá coibir alguma parte desse comércio sob o amparo da lei. Seria melhor ainda se fosse possível elaborar um programa de pesca sustentável do tubarão, que acomodasse os pescadores artesanais, sua nutrição, cultura e a manutenção do ecossistema saudável; mas na atual conjuntura de quase-extinção de várias espécies de tubarões, isso soa infelizmente deveras utópico.

Deixo então, para reflexão de todos que porventura passem por aqui, duas imagens do “processamento” de um tubarão em alto-mar. As fotos foram tiradas a bordo de uma embarcação de pesca de bandeira brasileira em território brasileiro.

FinningBarbatanas secando

Pescador retira barbatana assim que o tubarão chega, no convés do navio. Em seguida, barbatanas secando ao sol.

Tudo pelos tubarões sempre.

Quem é o predador?

Quem é o real predador?

**************************

- Ressalto aqui o fato de que os consumidores de carne de cação também não sabem que, além de toda essa questão ecológica, comer carne de animais de topo de cadeia alimentar, carnívoros, aumenta consideravelmente a quantidade de mercúrio no organismo da pessoa. Leia aqui as recomendações do FDA para consumo desses animais por mulheres grávidas e crianças. – Publicado também no Faça a sua parte.

  • alessandro martins

    Boa dica. E por esses e outros motivos não como carnes de nenhum tipo. Comer cadáveres? Estou fora. Abraços!

    • César Henrique Xavier Rosa

      Bem, não dá para comer vivo né?

  • Ernesto

    Já me convenceu… Um a menos que come carne de cação….

  • Lorena

    Eu realmente não sabia que os tubarões estavam em extinção, mas é fácil entender porquê, topo da cadeia como ele é e com toda essa matança… Nunca comi cação e agora é que não como mesmo. Me lembro dos tubarões pequenininhos que vi fixados nas aulas de Zoologia dos Vertebrados e até deles fiquei com pena!
    Vou disseminar a mensagem!

  • Danilo – Cenas da Cidade

    Não sabia disso! o cação é talvez meu peixe preferido, pois é “carnudo”, quase nao tem espinhos e a carne é deliciosa, mas agora vou pensar muito antes de consumir
    que absurdo isso! e porque ninguem avisou antes!?

  • Atila

    Muito bom saber disso Lucia, vou avisar que puder sobre isso, e para os menos conscientes o aviso do mercúrio é uma boa!!

  • graziela

    Lúcia, comemos salmão quase uma vez por semana em casa e adoro atum no japonês. Os médicos recomendam esses dois tipos por serem ricos em ômega três (que a sardinha também tem). Será que foi a propaganda dessas qualidades que botaram os pobrezinhos na lista de ameaçados? Achei que comer peixe era uma maneira de garantir saúde, diminuir a carne vermelha (pecuária extensiva é péssimo), confesso que agora fiquei em dúvida. Será que não tem jeito de comer sem acabar com tudo? Não tem jeito de regulamentar melhor a pesca? O que eles fazem com as barbatanas mesmo?
    bjs, Graziela

  • João Carlos

    Um “detalhezinho” que talvez tenha passado despercebido: a carne do cação se deteriora com muita rapidez… Algo a ver com o sistema excretor do bicho que é auxiliado pela circulação da água através do corpo – segundo me disseram a meio século atrás.
    Para quem vive em uma cidade pesqueira (Cabo Frio, por exemplo), não é tão arriscado, mas eu nunca me atrevi a comer cação no Rio de Janeiro… Mais uma razão para evitar.
    Mas – francamente, Lucia?… – eu não creio que boicotar a carne de cação vá resolver o problema… Não se parou de criar gado para corte, só porque os botões deixaram de ser feitos de chifres e ossos de boi…

  • http://luciamalla.com Lucia Malla

    Alessandro, :)
    Ernesto, vc não sabe o quanto me deixa feliz ouvir isso… :D
    Lorena, dissemine à vontade!
    Danilo, as ONGs vêm avisando há algum tempo já… e basta perguntar a qualquer pescador como anda o mar no Brasil inteiro. A única unanimidade que a gente ouve é q está cada vez mais difícil pescar.
    Atila, a intoxicação por mercúrio alimentar é um problema ainda pouco estudado pela medicina – é mais estudado no caso de contaminação por garimpo. Um campo aberto a novas idéias. :)
    Graziela, peixe é realmente uma carne saudável, exceto os de topo de cadeia alimentar, por causa da bioacumulação. Há peixes mais sustentáveis de serem consumidos, cuja pesca não prejudica tanto o ambiente e que são intermediários na cadeia alimentar. Ou peixes cultivados, como a tilápia e seus derivantes (St. Peter, por ex.).
    João, acho q a comparação não compete nesse caso, pq não se cria cação… não há controle na reprodução do animal.
    E se eu fosse vc, evitava cação de qqer origem, não só do Rio… ;)
    Beijos a todos.

  • Roseane

    Que interessante, eu não sabia! Você tem alguma informação sobre o pirarucu, adoro esse peixe enorme, mas faz muito tempo que não como. Espero que nãoe steja em extinção também.

  • Emília

    Lucia, como tinha te dito, esses posts seus sobre a pesca e consumo de peixes me deixou com a pulga atrás da orelha. Nunca tinha imaginado a extensão do problema…vou espalhar a mensagem também.

  • Iraldo

    É isto mesmo, Lucia!
    E vou além: a felicidade
    reside num pé de alface.
    Go veggie or bust!
    abraço.

  • Chris Pessoa

    Ainda bem que não gosto de peixe nenhum. :-D

  • http://luciamalla.com Lucia Malla

    Roseane, sei que estão tentando “criar” o pirarucu em certas áreas da Amazônia. Se isso é suficiente, não sei.
    Emilia, espalhe à vontade! :)
    Iraldo, seu poeta! Nota 10.
    Chris, :)
    Beijso a todos.

  • Leonisia campos

    Cação????? Nunca mais…. peixe carnívoro, que acumula detritos de outros peixes através da cadeia alimentar????????Vivendo e aprendendo…..

  • Paulo Ricardo

    estava passando pelo google e por acidente dei de cara com essa matéria.
    acho q p´roibir a caça não é solução pois a muitos lugares pelo brasil q são infewstados de tubarões no caso de recife por exemplo, depende de como a pesca é distribuida por cada região, isso é o p´rincipal causador do desequilíbrio ambiental, precisa-se sim haver uma fiscalização sobre esse tipo de pesca e haver um controle por quantidade de cada região.
    aprecio muito a carne de cação mas como poucas vezes (bem raramente na verdade) pois sei q quase todos são na verdade são tubarões e não cações. os tubarões estão lonje de desaparecer pois são mais antigos que os dinossauros e possuem mais de 70 milhões de anos de evolução, com certeza eles vão contornar esse problema, mas realmente t~em q haver um rigor maior de proteção para as espécies mais ameaçadas.

  • Paulo Ricardo

    “Cação????? Nunca mais…. peixe carnívoro, que acumula detritos de outros peixes através da cadeia alimentar????????Vivendo e aprendendo…..” vale salientar que quase todos os tipos de peixes que comemos (senão todos) são predadores…

  • camila

    Fiquei chocada!
    Não tinha a menor idéia disso.
    Achava que esses peixes mais consumidos eram criados pra consumo.
    Não como mais cação. Tenho dito!

  • Karla Ramalhete

    Pra que servem as barbatanas dos tubarões/cação?

  • http://luciamalla.com Lucia Malla

    Leonisia, pois é…
    Paulo Ricardo, cação e tubarão são a mesma coisa, biologicamente falando.
    Camila, não dá pra criar cação em cativeiro para fins de alimentação. O animal precisa de muita área pra viver bem, o que torna inviável economicamente.
    Karla, as barbatanas são usadas na Ásia, principalmente na China, Hong Kong, Taiwan e Coréia para fazer uma sopa, que tem gosto de caldo de galinha. As barbatanas em si não têm gosto de nada, elas apenas dão uma textura gelatinosa à sopa. Esta sopa é um símbolo de status entre os chineses, como o caviar entre a gente.
    Abraços a todos.

  • neuza avila

    Você me convenceu a não comer cação… alguem pode me indicar um lugar onde comprar sardinha (a “portuguesa”) em Brasilia? obrigada.

  • Paula

    Lúcia
    Parabéns pelo blog!!
    Esses dias fomos a peixaria… o prato era peixe ensopado… ai não sabíamos qual peixe q casava com o prato e pedimos sujestão ao vendedor… e ele veio com esse tal de “cação” minha nossa pensei q peixe é esse… levamos p casa e quando fui preparar o prato ficamos pensando… nossa como é parecido c tubarão…
    Se eu tivesse lido a tua matéria antes jamais teria comprado!!!
    Valew

  • http://luciamalla.com Lucia Malla

    Neuza, não sei sobre nada sobre Brasília… :(
    Paula, obrigada! Fico feliz q tenha lido. Por favor, espalhe a mensagem de q cação é tubarão, e não deveria ser jamais comido… ;)
    Obrigada a vcs pela visita carinhosa.
    Beijos.

  • Aline

    Achei muito bom o que comentou! Sou do Centro-Oeste e defendo a proibição da pesca dos cações, estamos tentando fazer a nossa parte por aqui! E fico feliz que as pessoas estejam começando a ter cosnciência da crueldade com esses animais!!!

  • http://luciamalla.com Lucia Malla

    Aline, disseminar a mensagem é sempre importante! Parabéns por fazê-lo. :)

  • jose lopes

    a carne de casao e muito boa so lamento

  • Taciana

    Interessante matéria. Estava procurando na internet algo sobre cação pq preparei um que ficou um cheiro forte e sabor desagradável (como se cheirasse água sanitária e ardesse o nariz e um gosto repugnante), apesar do pirão e das verduras ficarem gostosas. Eu comprei cação a primeira vez em setembro… me casei e quis economizar na feira e cação realmente eh barato e depois de experimentá-lo axei bastante saboroso, comprei mês passado de novo e foi a última. Primeiro por causa desta experiencia e tive q só de lembrar o gosto dá ansia de vomito e segundo por esse artigo bem informativo. Sabia do mercúrio, mas como só usei 2 vezes nao fiz questao. Pelo bem do ecossistema marinho e do meu paladar, sou mais uma que nao compro caçao.
    Abraços!

  • http://luciamalla.com Lucia Malla

    Taciana, obrigada de coração pelo seu depoimento. :)

  • Giorgio Luigi

    O QUE PENSO EH DIREITO MEU. E PENSO Q SOMOS A PIOR COISA Q DEUS COLOCOU NA TERRA, SOMOS CONSUMIDORES INSACIÁVEIS, DESTRUIMOS, MATAMOS, EXTERMINAMOS E SÓ PENSAMOS Q NOSSOS DIREITOS “HUMANOS” CONTAM. OU SERÁ Q TODOS SERES VIVOS NÃO SENTEM DOR E TEMEM A MORTE?? OS “CHINAS” SÃO UNS MISERÁVEIS, SE CAÇÕES, TIGRES E OUTRAS CRIATURAS DE DEUS DEIXAREM DE EXISTIR, PODE AGRADECER A ELES.
    GIORGIO LUIGI

  • Charles Júnior

    Sou novo aqui no site, descobri por acaso assistindo o documentário Cove, principalmente sobre a minha curiosidade sobre o mércúrio presente na carne dos golfinhos.
    Particularmente, gosto mutio de peixes e pude presenciar pelo site e pelos filmes os riscos do mercúrio, principalmente sobre os eventuais ou possíveis danos a longo prazo do consumo destes alimentos.O curioso é que não há pesquisas conclusivas sobre este assunto, ou melhor, níves de tolerância ou níveis seguros de consumo.
    Gostaria de saber também, para que de fato serve essas barbatanas de tubarão?

  • http://luciamalla.com Lucia Malla

    Charles, a barbatana é usada para fazer uma sopa tradicional na China. Praticamente todas as barbatanas coletadas pelo mundo vão parar na Ásia, principalmente China e Hong Kong.

  • Carolina

    Nossa,vou copiar e enviar para todos os meus contatos,façam o mesmo, vamos acabar com isso.

  • vania gato

    adoro cação, além de gostoso realmente é um peixe barato, e não tinha a menor idéia desse fato. Eu o tenho agora no freezer, este vou consumir, mas não vou mais comprá-lo, assim como faço com sardinhas, não compro nunca as pequenas q sei q são proibidas. muito boa esta reportagem.

  • Sônia Regina N. Hildebrando

    Se eu entendi o Cação e o Tubarão são semelhantes, mas ñ é o mesmo peixe, porisso qdo comemos ñ sabemos qual é?
    Ficamos com essa dúvida.
    Sônia Regina.

  • http://luciamalla.com Lucia Malla

    Sônia, são o mesmo grupo de peixes. Tubarão = cação.

  • Rodrigo

    vix….. será que c eu optar agora pelo alface também vou ter problemas!!?!

    • Renan

      vai sim, alface não tem nutrientes, prefira verduras de cores escuras, como couve manteiga, brocolis etc

  • Rodrigo

    ….quanto aos preços do portal…. pode ter certeza que está bem desatualizado, pois, conheço bem destes preços e estão muito abaixo do praticado na real….

  • Lucia Malla

    Rodrigo, atenção à data de quando o post foi escrito. ;)

  • Ronaldo Pereira da Rocha

    Acabei de comer cação agora! É uma delícia,esses ecologistas são um saco!

  • Fredxav

    No dia que um de voces fizer um mergulho com SCUBA e ver um tubarão ou um cação vai entender que ecologista nao é saco……. Ta zelando por voce que nao tem SACO pra tomar uma posição!!!!!!!

  • Sandra

    Não sou a favor de consumir animal em extinção, quem me dera se eu e a humanidade conseguíssemos nos alimentar de forma menos carnívora. Mas não sou hipócrita, eu era vegetariana e depois da minha gravidez me tornei carnívora, agora não sei porque estou numa fase mais light, consumo carnes e pescados mas beeeeem pouco, e não é por questões ecológicas, simplesmente meu organismo vai se alterando e por si só não me apetece mais como antes. Mas ainda consumo um pouco sim. Inclusive, a respeito do cação (que eu pensei que fosse filhote de tubarão mas não é) digo ser ainda um pouco irresistível não saboreá-lo, porém consumimos aqui em casa até que pouco dado a quantidade de pessoas aqui. Mesmo assim sei que não é uma atitude das melhores apenas diminuir o consumo, o ideal seria não consumir. Mas esqueçam não dá para convencer o ser humano de não comer algo que ele gosta, no máximo ele diminui. Não é uma questão de consciência nem maldade, não adianta os ecologistas se pautarem nisso que não resolve, simplesmente porque é uma questão da natureza animal que todo ser humano tem. Então como resolver? Nem imagino como. Mas se a legislação ao menos melhorar, já ajuda. Pensemos racionalmente, a tecnologia avançou tanto será que não há como criar cação em cativeiro voltado para o consumo alimentar? Se for possível ao menos diminuirá o impacto se o governo incentivar por meio de impostos e ajuda no inicio com a construção de grandes tanques adequados e apoio de estudiosos (parceria com faculdades). Não adianta falar que não é possível , isso não resolve, o que resolve é por a mão na massa pesquisar testar até dar certo, tantos outros animais eram impossiveis a reprodução em cativeiro e conseguiram depois de anos. Se já tivessem começado com certeza alguma vitória já teriam alcançado, e quem sabe hoje já seria uma alternativa legal (jurídica) para se exigir dos pescadores. Não adianta falar para o pescador “não pesque” “não comercialize” é o ganha pão dele, no máximo com apoio e orientação ele pode diminuir a pesca mas ainda assim não será suficiente para tirar o cação / tubarão da lista de extinção. Se o consumo é arriscado para a população por causa do mercúrio, então cadê os ecologistas para fazer pressão e algumas reportagens em programas populares não são feitas para alertar a população! Enfim, de grão em grão a galinha enche o papo, ao invés de unicamente ficar em discussões virtuais que não alcança a população da forma e na quantidade necessária para uma real mudança. Carnívoros vão continuar comendo isso é da natureza humana a coisa mais difícil é mudar a natureza alimentar humana isso pode ocorrer mas o tempo de conquista dessa mudança é demasiadamente longa, e os cações e tubarões precisam de ajuda imediata. Então se fizerem alguma campanha contundente, realmente significativa pautada em estudos etc, conte com a população até com os carnívoros, todo ser humano é capaz de ajudar até seu “inimigo” desde que ele tenha uma proposta com base em argumentos irrefutáveis. O povo quer ajudar, mas nem pensar em falar para o mesmo que ele tem que ficar sem comer para isso. E não digo sobre mim, porque estou numa fase capaz de abrir mão do cação…mas eu sou apenas uma pessoa e o cação precisa de milhares. Boa sorte!

  • RTC

    Nesta Páscoa 2013 fui ao Mercado Municipal em São Paulo por sugestão de um amigo e comprei postas de pescada amarela. Mas, a intenção era de fazer um cação. Ontem, durante o almoço com amigos que pescam – eu não sei pescar – veio esta informação de que o cação é um filhote de tubarão…O último cação que eu comprei, cozinhei e comi deve ter sido em dezembro de 2012 e, desta forma, após ler tudo isto e orientando-me por minhas convicções e formação, aquele foi o último. Daqui para a frente somente os peixes em abundância. Quanto a colega que sentiu um sabor estranho fica a dica: não basta apenas limpar e lavar o peixe. Tem que Fazer isto com água quente, limão ou vinagre como se fosse um pré-cozimento – independente da opção de assar, cozinhar, ensopar, fritar, etc. Quando a água desta “lavagem” não mais soltar qualquer espuma, o peixe pode ser preparado. O mesmo para camarões, caranguejos, lagosta, etc. Vamos dar um tempo para o tubarão…quando ele começar a ameaçar a gente, voltamos a comê-lo…se der tempo!

    • luciamalla

      Obrigada pelo comentário, RTC! E parabéns pela decisão acertada pela proteção do grupo dos tubarões! :)

  • Juscilene Aparecida dos Santos

    Senti até dor no coração!Fiquei super triste em saber que estava compactuando com isso.Não sou vegetariana,consumo alguma carne branca,com moderação,pois amo animais e vivo me policiando e tento consumir o mínimo e ensino minhas filhas que devemos respeitar os outros seres e não acho que estão aqui para satisfazer nossos prazeres gastronômicos.Cação nunca mais!!!

    • luciamalla

      Juscilene, :) :) :)

  • Geraldo Henrique da Silva

    Cação ou tubarão é peixe que não possui escamas, logo, é proibido por Deus na Bíblia em Levíticos. O SENHOR proibe ao homem comer peixe sem escamas, é considerado animal imundo. Consultem no google, e vejam lá, animais considerados impuros na bíblia. Portanto, obedecendo a vontade do SENHOR, jamais comerei animal imundo.

    • luciamalla

      Geraldo, vc sabe qual a citação específica da bíblia que fala sobre isso (capítulo, versículo…)? Ficarei agradecida se vc me passasse essa informação.

      • César Henrique Xavier Rosa

        Êxodo e Deuteronônio. Mas ao meu ver, somente para os judeus.

    • Vitor Meira

      Isso é para os judeus!

  • Joice

    Eu não sou tão passional em relação ao ecologicamente correto.
    Agora, de verdade, um ato realmente ecológico para quem anda tão preocupado com a natureza é não ter filhos.
    Apenas para iniciar um argumento gostaria de lembrar que uma pessoa, em média, produz durante a vida 40t de lixo.
    Eu não tenho filhos e não pretendo os ter.
    E eu como cação e continuarei comendo.
    Au revoir! :-P

  • jean

    Eu gosto de comer cação. ..

  • homem charmoso

    quer dizer que ele é só pescado? que bom, peixes em cativeiro são tratados com hormônios que fazem mal a nossa saúde.

    • http://luciamalla.com/ Lucia Malla

      Os hormônios dados aos peixes são degradados pelo pH ácido do estômago no momento do consumo.

  • antonio

    faz 35 anos que pescavamos caçoes a 15 milhas da costa de itanhaem,com uma lancha 21 pes ,com 4 linhadas,4 varas e uma carretilha com 500 metros de linha,com 4 anzois com sardinhas em cada isca,70 metros de profundidade no cascalho,animais ate 36 quilos inclusive martelos pelo prazer da pesca e para consumo da carne,iamos em 4 pessoas,pescavamos boa quantidade de caçoes,cambucu,espadas,mas certa vez ao levantar uma tintureira de cabeça para baixo caiu uma mao de homem e orgaos sexuais do mesmo,enojados nunca mais voltamos para pescar os caçoes,e nunca mais comi carne de caçao,vendemos a lancha carbras-mar de nome toty e ficamos muitos anos sem navegar,agradecemos termos saido do mar inteiros depois de passarmos varios apuros como virada de tempo,mar agitado,e problemas mecanicos,frio e fome no mar, sem radio, sem motor extra, assim prometi a mim mesmo que so voltaria a navegar com barco de 2 motores,banheiro,radio,radar metereologico,etc…,os caçoes prefiro ve-los nos filmes e bem longe de nos,nao se meta no mar se nao for bem preparado ,principalmente para nao entrar em panico,um abraço a todos que lerem este relato.

    • http://luciamalla.com/ Lucia Malla

      Obrigada pelo relato, antonio! :)

  • crucius

    O cação não é uma espécie ameaçada. Não existe informação suficiente disponível actualmente, mas não se acredita que seja motivo de preocupação a sua caça em quase todos os locais onde ele se encontra. Já algumas espécies de tubarão estão em forte perigo, estes: http://en.wikipedia.org/wiki/List_of_threatened_sharks

  • César Henrique Xavier Rosa

    Supondo que sua “utopia” virasse realidade e o comércio de carne de tubarão fosse proibida. Passaria alguns anos e provavelmente alguém faria um artigo semelhante ao seu dizendo que tal espécie está seriamente ameaçada, não? Bom artigo, mas que na prática não traz nenhuma proposta prática, já que o não consumo do tubarão por livre iniciativa não mudaria a curto e médio prazo nada.